terça-feira, 11 de agosto de 2015

Quem vai tocar no show do intervalo do Super Bowl 50?

Ontem eu falei sobre as minhas apostas sobre os times favoritos a chegarem ao Super Bowl na próxima temporada da NFL. E é um Super Bowl especial, já que é o 50º Super Bowl. Em finais "normais", o show do intervalo já é um evento muito especial e concorrido. Se o Super Bowl é o evento de maior audiência nos Estados Unidos, o show do intervalo normalmente tem uma audiência ainda maior que a do jogo em si, e é uma oportunidade única se apresentar nesse evento, tanto que ano passado surgiram rumores de que a NFL estaria cobrando dos artistas (!!!) para que eles se apresentassem. A artista que se apresentou ano passado, Katy Perry, nega que tenha pago qualquer valor.

* Michael Jackson "inaugurou" a "era moderna" dos show de intervalo do Super Bowl em 1993

Nos últimos anos, desde 2011, a NFL vem apostando em artistas pop de sucesso, começando em 2011 com o Black Eyed Peas, e passando por Madonna, Beyoncé e Bruno Mars até chegar à Katy Perry no ano passado. Antes disso, a NFL vinha apostando em nomes já consagrados da música, muito por causa do famoso "nipplegate", quando em 2004 o Justin Timberlake acidentalmente rasgou a roupa da Janet Jackson e deixou seu seio a mostra por alguns segundos (suficientes para causar uma tragédia inclusive na carreira da irmã do rei do pop). Após o "nipplegate" passaram pelo show do intervalo o Paul McCartney, os Rolling Stones, o Prince, o The Who e o Bruce Springsteen, com um inusitado show do RBD - sim, Rebeldes - em 2008.


A virada pop a partir de 2011 deixou muitos fãs da NFL chateados, com muitas reclamações a cada artista pop que é anunciado ano após ano, e esses fãs pedem que a NFL volte a trazer artistas da velha guarda para o show do intervalo, mas pelo visto a aposta em artistas atuais de sucesso está sendo lucrativa pra liga, já que a fórmula não é modificada (apesar de sempre existir uma ou outra participação de artistas mais "velhos", como foram os Red Hot Chili Peppers em 2013 e Lenny Kravitz e a rapper Missy Elliott ano passado).



Então, considerando esse breve histórico, acho que a tendência da NFL é apostar em um superstar atual com a participação de nomes mais consagrados, inclusive misturando estilos. Assim, algumas das opções naturais seriam:

1 - Taylor Swift, Kendrick Lamar e convidado(s): A Taylor é a maior estrela pop do momento, sem sombra de dúvida, e poderia trazer alguns convidados para agradar outros públicos, como o rapper Kendrick Lamar, que é sucesso de crítica e público, para apresentarem "Bad Blood", e mais algum nome da "velha guarda", seja do country, estilo de origem dela, ou do rock.

2 - Rihanna, Kanye West, Jay-Z e Paul McCartney: Rihanna é uma das maiores estrelas pop desse século, e poderia agradar a fãs de rap com alguma de suas parcerias com seu "padrinho" Jay-Z e com Kanye, com quem já trabalhou em "All of the Lights" e "FourFiveSeconds", esta última com participação do ex-Beatle Paul McCartney, o que agradaria o pessoal mais voltado pro rock.


3 - Foo Fighters e convidado(s): Dave Grohl é um dos caras mais legais do mundo da música, e certamente sua banda poderia fazer um show marcante mesmo sem nenhuma participação especial. Mesmo assim, eles conseguiriam trazer algum outro grande nome da música, já que Dave e o Foo Fighters já tocaram com nomes como o próprio Paul McCartney e os ex-Led Zeppelin Jimmy Page e John Paul Jones, e a lista não acaba.

É claro que eu poderia trazer outros nomes, como Ed Sheeran, Pharrell, Eminem (nunca tivemos um show só de rap e talvez ele seja alguém capaz de lidar com esse peso) e Coldplay (que inclusive esteve cotado ano passado). A liga pode ainda apostar em um show mais "conservador", chamando algum nome que já tenha sido atração e tenha agradado comercialmente, mas não acho que esta seja a intenção da liga, ainda mais em se tratando de artistas que se apresentaram recentemente.

Nenhum comentário:

Postar um comentário